o-efeito-do-tdah-no-casamento
O Efeito do TDAH no Casamento – Saiba como Conviver Melhor
23 de novembro de 2018
fibrilacao-atrial-e-avc-causas
Compreenda a Relação entre Fibrilação Atrial e AVC
7 de dezembro de 2018

Os diferentes tipos de exames neurológicos são ferramentas vitais que ajudam os médicos a confirmar ou descartar a presença de um distúrbio neurológico. Um exame neurológico é uma avaliação do sistema nervoso de uma pessoa, que pode ser feita no consultório, com instrumentos como luzes e martelos de reflexo.

Mas também existem os exames de imagem, como ressonância magnética ou ultrassom transcraniano. Neste artigo, conheça os principais exames neurológicos e sua finalidade.

Tipos de Exames Neurológicos

Um século atrás, a única maneira de fazer um diagnóstico para muitos distúrbios neurológicos era realizando uma autópsia após a morte de um paciente.

Mas décadas de pesquisa básica sobre características dessas doenças e o desenvolvimento de técnicas que permitem enxergar dentro do cérebro vivo e monitorar a atividade do sistema nervoso à medida que ocorrem, deram aos médicos ferramentas poderosas e precisas para diagnosticar doenças e testar qual terapia específica pode funcionar para cada caso.

Tipos de Exames Neurológicos – Quando Realizar

Problemas no cérebro podem ser difíceis de diagnosticar. Muitas vezes os sintomas de uma condição cerebral aparecem em outra parte do corpo, devido ao complexo caminho de seu sistema nervoso.

Quando houver suspeita de problemas com a saúde do seu cérebro, o seu médico neurologista começará com uma avaliação inicial e depois passará para testes de diagnóstico neurológico mais complexos.

A avaliação do sistema nervoso de uma pessoa é importante quando há alguma suspeita de problemas neurológicos, ou durante uma avaliação física de rotina. Dentre os motivos para o médico solicitar um exame neurológico, estão:

  • Qualquer tipo de trauma;
  • Acompanhar a progressão de uma doença;
  • Queixas de: Dores de cabeça, Visão turva, Mudança no comportamento, Fadiga, Mudanças no equilíbrio ou coordenação, Dormência ou formigamento nos braços ou pernas, Diminuição do movimento dos braços ou pernas, Lesão na cabeça, pescoço ou costas, Febre e Convulsões, Fala arrastada, Fraqueza ou Tremor.

Quais São os Principais Tipos de Exames Neurológicos

Pesquisadores e médicos usam uma variedade de técnicas de diagnóstico por imagem, análises químicas e metabólicas para detectar, manejar e tratar doenças neurológicas. Veja a seguir quais são os principais:

Exames de Sangue

O exame de sangue pode indicar níveis anormais de hormônios, células sanguíneas e outros sintomas de doenças neurológicas. O exame de sangue pode incluir testes genéticos e de DNA para condições hereditárias.

Tomografia Computadorizada

A tomografia computadorizada é uma máquina de raio X ligada a um computador para tirar uma série de fotos detalhadas do crânio. Trata-se de um processo não invasivo e indolor, utilizado para produzir imagens bidimensionais rápidas e claras de órgãos, ossos e tecidos.

A tomografia computadorizada neurológica é usada para detectar irregularidades vasculares, certos tumores no cérebro, cistos, hérnias de disco, epilepsia, encefalite, estenose espinhal (estreitamento do canal espinal), coágulos de sangue ou hemorragia intracraniana em pacientes que sofreram acidente vascular cerebral, dano cerebral ocasionado por lesões na cabeça, entre outros distúrbios.

Angiografia

Teste usado para detectar bloqueios das artérias ou veias, podendo detectar o grau de estreitamento ou obstrução de artérias ou vasos sanguíneo no cérebro, cabeça ou pescoço. É usado para diagnosticar derrame e para determinar a localização e o tamanho de um tumor cerebral, aneurisma ou malformação vascular.

Análise do Líquido Cefalorraquidiano  

Envolve a remoção de uma pequena quantidade do líquido que protege o cérebro e a medula espinhal. O fluido é testado para detectar qualquer sangramento ou hemorragia cerebral, diagnosticar infecção no cérebro e/ou medula espinhal, identificar casos de esclerose múltipla e outras condições neurológicas, além de medir a pressão intracraniana.

Eletroencefalografia

Também conhecido por EEG, este exame monitora a atividade cerebral através do crânio. O EEG ajuda a diagnosticar certos distúrbios convulsivos, tumores cerebrais, danos cerebrais causados por lesões na cabeça, inflamação do cérebro e/ou medula espinhal, alcoolismo, certos transtornos psiquiátricos, e distúrbios metabólicos e degenerativos que afetam o cérebro.

O EEG também é utilizado para avaliar distúrbios do sono, monitorar a atividade cerebral quando um paciente foi totalmente anestesiado ou perde a consciência, e confirmar a morte encefálica.

Ressonância Magnética

Este exame usa ondas de rádio geradas por computador e um poderoso campo magnético para produzir imagens detalhadas de estruturas do corpo, incluindo tecidos, órgãos, ossos e nervos.

Os usos neurológicos incluem o diagnóstico de tumores cerebrais e da medula espinhal, doença ocular, inflamação, infecção e irregularidades vasculares que podem levar ao AVC. A ressonância magnética também pode detectar e monitorar distúrbios degenerativos, como a esclerose múltipla e documentar lesão cerebral causada por trauma.

Ultrassonografia Transcraniana

A ultrassonografia, utiliza ondas sonoras de alta frequência para obter imagens no interior do corpo. A neurossonografia  (ultrassonografia do cérebro e da coluna vertebral) analisa o fluxo sanguíneo no cérebro e pode diagnosticar acidentes vasculares cerebrais, tumores cerebrais, hidrocefalia (formação de líquido cefalorraquidiano no cérebro) e problemas vasculares.

Também pode identificar ou descartar processos inflamatórios que causam dor. A ultrassonografia transcraniana com Doppler é usada para visualizar artérias e vasos sanguíneos no pescoço e determinar o fluxo sanguíneo e o risco de acidente vascular cerebral.

O campo médico científico busca sempre desenvolver métodos diagnósticos adicionais e aprimorados para confirmar com mais precisão e rapidez os fatores que podem contribuir para o desenvolvimento de uma doença.

Esses procedimentos continuarão a ser importantes ferramentas de pesquisa clínica para confirmar distúrbios neurológicos, mapear a progressão da doença e monitorar o efeito terapêutico.

Tipos de Exames Neurológicos de Rotina – Saiba Mais
Vote
Dr Daniel Azevedo

Dr Daniel Azevedo

Neurologista membro titular da Academia Brasileira de Neurologia e pós-graduando do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo, no Laboratório de Neurossonologia do Hospital das Clínicas. Possui título de especialista em neurossonologia concedido pela World Federation of Neurology e pela Academia Brasileira de Neurologia. Atua principalmente nos seguintes temas: doenças cerebrovasculares, hemodinâmica encefálica e neurointensivismo
Dr Daniel Azevedo