fbpx

TDAH e Hereditariedade – Existe Base Genética para o Transtorno?

Hiperatividade e o Sono
Hiperatividade e o Sono – Mútua Influência
18 de outubro de 2019
Mostrar Todos

TDAH e Hereditariedade – Existe Base Genética para o Transtorno?

TDAH e Hereditariedade

TDAH e Hereditariedade. Atualmente, ainda não se sabe exatamente o que causa o TDAH , mas sabe-se que certas coisas desempenham um papel, algumas mais fundamentais que outras. Entre esses fatores, um deles é o histórico familiar.

O TDAH é uma patologia genética. De um terço a até metade das pessoas portadores de TDAH que decidam ter filhos, terão um filho com o distúrbio. Existem características genéticas que são transmitidas pela genética familiar. Se um dos pais tiver TDAH, o filho terá mais de 50% de chance de tê-lo. Se um irmão mais velho tiver, a criança mais nova terá 30% de chance.

TDAH e Hereditariedade

Algumas pesquisas sugerem que o histórico genético é o fator de peso que determina quem desenvolve o TDAH. Os genes funcionam como blocos de construção do nosso corpo. E os herdamos de nossos pais. Como muitos distúrbios ou condições, o TDAH pode ter um forte componente genético. Por esse motivo, muitos cientistas concentram suas pesquisas nos genes exatos que carregam o distúrbio.

TDAH e Hereditariedade – Aspectos da Relação Familiar

  • Parentesco Próximo – Ter um membro na família portador de TDAH aumenta a probabilidade de desenvolver o distúrbio para aqueles que são membros dessa família. As crianças com TDAH costumam ter pai, irmão ou outro parente próximo com TDAH.
  • Irmãos e Gêmeos Idênticos – Gêmeos também compartilham o risco de ter TDAH. Uma criança que tem um gêmeo idêntico com TDAH tem uma grande chance de também desenvolver o distúrbio. Além disso irmãos caçulas de crianças com TDAH são mais propensos a receber um diagnóstico de TDAH. Entre os irmãos que nascem mais tarde, as chances de receber um diagnóstico de TDAH são de aproximadamente 13 vezes mais naqueles que tinham irmãos mais velhos com TDAH do que naqueles que não tinham.
  • Variantes do DNA – Ao contrário das possíveis causas ambientais do TDAH, o DNA não pode ser alterado. À medida que as pesquisas se aprofundam no tema do que causa o TDAH, reconhecemos o forte papel da genética. Portanto, grande parte da pesquisa sobre o TDAH é dedicada à compreender mais amplamente os genes. Além disso, as análises de variações no DNA, como duplicações ou deleções, foram constatadas que tinham impacto no desenvolvimento de TDAH, já que eram mais comuns em indivíduos com TDAH. As variações significativas no DNA estavam presentes em 14% das crianças com TDAH em comparação com 7% das crianças sem TDAH.

TDAH e Hereditariedade – Como Evitar que seus Filhos Tenham o Transtorno

Caso você seja uma pessoa adulta com TDAH e deseja ter filhos, você pode estar preocupado com a transmissão dos genes desse distúrbio para o seu filho. Infelizmente, você não pode controlar se seu filho herdará os genes para o TDAH. No entanto, você pode controlar o quão cauteloso você está sendo sobre os possíveis sintomas do seu filho.

Certifique-se de alertar o pediatra do seu filho sobre seu histórico pessoal de TDAH. Quanto mais cedo você estiver ciente dos possíveis sinais de TDAH em seu filho, mais cedo você e o médico do seu filho poderão identificar se a patologia ocorreu ou não. Caso a resposta seja sim, o início do tratamento e a terapia ocorrerá precocemente, o que pode ajudar seu filho a lidar melhor com os sintomas do TDAH.

Quando Consultar um Médico

É normal que as pessoas tenham algum grau de desatenção, hiperatividade e impulsividade. No entanto, para indivíduos com TDAH, esses aspectos comportamentais do TDAH ocorrem com mais frequência, são mais graves e interferem no funcionamento e nas habilidades sociais.

Caso se note esses sintomas, consulte um médico, para que ele realize o diagnóstico e garanta um tratamento adequado. Atualmente, não existe cura para o TDAH, mas medicamentos, psicoterapia e estratégias educativas estão disponíveis para ajudar as pessoas a gerenciar os sintomas.

Outros Fatores para o Desenvolvimento do TDAH

Embora a genética desempenhe um papel no TDAH, é provável que uma combinação de fatores contribui para o distúrbio. Os pesquisadores continuam estudando as causas do TDAH e seus fatores de risco. A pesquisa sugere que uma combinação de fatores genéticos, ambientais e sociais pode contribuir para o TDAH. Outras Causas são:

  • Parto prematuro;
  • Peso abaixo do ideal no nascimento;
  • Lesão Cerebral;
  • Exposição a toxinas durante a gestação;
  • Exposição ao chumbo na infância;
  • Tabagismo e consumo de álcool durante a gravidez.

Referência: TotallyADD

Dr Daniel Azevedo

Dr Daniel Azevedo em Neurologista SP
Neurologista membro titular da Academia Brasileira de Neurologia e pós-graduando do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo, no Laboratório de Neurossonologia do Hospital das Clínicas. Possui título de especialista em neurossonologia concedido pela World Federation of Neurology e pela Academia Brasileira de Neurologia. Atua principalmente nos seguintes temas: doenças cerebrovasculares, hemodinâmica encefálica e neurointensivismo
Dr Daniel Azevedo

Últimos posts por Dr Daniel Azevedo (exibir todos)

Compartilhe