fbpx
hipotensao-ortostatica-doenca-de-parkinson
Hipotensão Ortostática na Doença de Parkinson – Saiba Mais
10 de maio de 2019
papel-do-doppler-transcraniano-no-avc
Conheça o Papel do Doppler Transcraniano no AVC
24 de maio de 2019

Atualmente, sabemos que o TDAH pode acompanhar o paciente até a vida adulta. Contudo, os sintomas do TDAH em adultos manifestam-se de muitas maneiras diferentes.

Verifique neste artigo algumas questões que podem indicar a presença de TDAH em uma pessoa adulta, e a necessidade de procurar um médico especialista para diagnóstico.

Os Sintomas do TDAH em Adultos

Pessoas adultas com TDAH costumam esquecer de pagar as contas, perdem as chaves com facilidade, não se lembram dos compromissos ou deixam tarefas pendentes ou sem finalização. Mas isto não quer dizer que elas sejam ineficientes ou incapazes de realizar um trabalho com competência.

O TDAH é uma condição neurológica definida por sintomas de desatenção e/ou impulsividade hiperativa, que interferem no funcionamento diário do paciente em pelo menos dois ambientes – por exemplo, no trabalho e em casa.

Conheça os Sintomas do TDAH em Adultos

O teste abaixo é informal e destina-se apenas como um guia geral. Partilhe suas respostas com o seu médico para uma análise mais aprofundada:

  1. Tenho dificuldade em me organizar.
  2. Quando recebo uma tarefa, geralmente procrastino em vez de fazê-la imediatamente.
  3. Eu trabalho em muitos projetos, mas não consigo completar a maioria deles.
  4. Tenho tendência de tomar decisões e de agir impulsivamente – como gastar dinheiro, envolver-me sexualmente com alguém, mergulhar em novas atividades e mudar de planos.
  5. Eu fico entediado facilmente.
  6. Não importa o quanto eu faça ou o quanto eu tente, eu simplesmente não consigo alcançar meus objetivos.
  7. Muitas vezes me distraio quando as pessoas estão falando.
  8. Eu fico tão envolvido em algumas coisas que faço que mal consigo parar para fazer uma pausa ou mudar para outra coisa.
  9. Eu tenho tendência a exagerar nas coisas mesmo quando elas não são boas para mim – como compras compulsivas, beber demais, trabalhar demais e comer demais.
  10. Eu fico frustrado facilmente e fico impaciente quando as coisas estão indo devagar demais.
  11. Minha autoestima não é tão alta quanto a dos outros que conheço.
  12. Preciso de muito estímulo de coisas como filmes de ação e videogames, novas compras, estar entre amigos animados, dirigir rápido ou praticar esportes radicais.
  13. Costumo dizer ou fazer coisas sem pensar, e às vezes isso me causa problemas.
  14. Eu prefiro fazer as coisas do meu jeito do que seguir as regras e procedimentos dos outros.
  15. Muitas vezes me vejo tocando um lápis, balançando minha perna ou fazendo outra coisa para aliviar o nervosismo.
  16. Eu me vejo de forma diferente do que os outros me vêem, e quando alguém fica bravo comigo por fazer algo que os incomoda, fico sempre muito surpreso.
  17. Mesmo que eu me preocupe muito com coisas perigosas que são improváveis ​​de acontecer comigo, eu costumo ser descuidado e propenso a acidentes.
  18. Embora eu tenha muitos medos, as pessoas me descreveriam como um tomador de risco.
  19. Eu cometo muitos erros descuidados.
  20. Eu tenho outras pessoas em minha família que sofrem de TDAH, outro distúrbio neurológico ou abuso de substâncias.

É importante considerar que nem sempre responder “sim” às questões acima caracterizam a pessoa com TDAH, mas se atentar a elas e procurar um médico neurologista é fundamental para que o diagnóstico seja feito corretamente, favorecendo o tratamento adequado.

A Importância do Diagnóstico Diferencial

Algumas pessoas podem confundir os sintomas do TDAH em adultos com ansiedade, pois ambos os transtornos provocam sintomas parecidos. Falta de concentração, distrações, esquecimentos e agitação são os que mais confundem pacientes e até mesmo profissionais de saúde. No entanto, em cada transtorno, as causas são diferenciadas.

A ansiedade consiste num estado de apreensão crônica sobre como as coisas poderão acontecer, e isto geralmente acontece de forma desproporcional e desconectada com a realidade. Já o TDAH está frequentemente associado à inquietação, distração, dificuldade em manter a atenção nas atividades em geral e em concluir tarefas.

Mesmo existindo a possibilidade do paciente sofrer dos dois problemas simultaneamente, na maioria dos casos a pessoa apresenta apenas um dos transtornos. Nestes casos, o diagnóstico diferencial é extremamente necessário, para que o paciente receba o tratamento adequado para o seu problema.

Por mais difícil e desesperador que possa parecer o TDAH na vida adulta, se o paciente estiver consciente dos seus pontos fracos e fortes e seguir o seu tratamento corretamente, torna-se mais fácil lidar com o TDAH e superá-lo.

Artigo publicado em: 11/05/2017.

Artigo atualizado em: 17/05/2019.

Dr Daniel Azevedo

Dr Daniel Azevedo em Neurologista SP
Neurologista membro titular da Academia Brasileira de Neurologia e pós-graduando do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo, no Laboratório de Neurossonologia do Hospital das Clínicas. Possui título de especialista em neurossonologia concedido pela World Federation of Neurology e pela Academia Brasileira de Neurologia. Atua principalmente nos seguintes temas: doenças cerebrovasculares, hemodinâmica encefálica e neurointensivismo
Dr Daniel Azevedo

Últimos posts por Dr Daniel Azevedo (exibir todos)

Compartilhe