Síndrome Nefroneural – Saiba Mais sobre a Doença Provocada por Contaminação de Cerveja em Minas Gerais

AVC em Mulheres
AVC em Mulheres: Fatores de Risco e Sintomas São Diferentes
24 de janeiro de 2020
atencao
Conheça o Mecanismo da Atenção
14 de fevereiro de 2020
Mostrar Todos

Síndrome Nefroneural – Saiba Mais sobre a Doença Provocada por Contaminação de Cerveja em Minas Gerais

Síndrome Nefroneural

Desde o mês de Outubro de 2019 até o mês de Janeiro de 2020, alguns casos de síndrome nefroneural ocorreram no Estado de Minas Gerais. Quatro dos dezoito resultaram em morte, a última aconteceu no dia 16 de Janeiro. A situação ainda está sendo investigada.

O número de denúncias vêm crescendo e ainda não parou de crescer, pois até recentemente, eram contados 18 casos de ocorrência da síndrome, no dia 28 de Janeiro de 2020, a contabilização já alcançava 29 casos.

Para saber mais sobre a situação, continue lendo este artigo.

Síndrome Nefroneural – Compreendendo a Situação

A síndrome nefroneural é uma patologia relacionada à intoxicação por dietilenoglicol, com apresentação clínica incluindo sintomas neurológicos e gastrointestinais. Estes últimos são os primeiros sintomas a aparecer e incluem a presença de dor abdominal, vômito, náusea e em alguns casos a insuficiência renal aguda, caracterizada pela perda rápida da habilidade dos rins em filtrar resíduos, sais e líquidos sanguíneos. Esse sintoma é geralmente aquele que faz com que os pacientes se direcionem a um atendimento médico.

Os sintomas neurológicos demoram um pouco mais a aparecer, podendo levar de 5 a 10 dias, eles se apresentam como paralisia de nervos da face e da cabeça (que pode evoluir com dor de cabeça), perda visual, degeneração das fibras musculares com consequente tetraparesia – síndrome que pode enfraquecer os músculos dos membros superiores e inferiores. Um exame neurológico é muito importante para identificar essas possíveis complicações e iniciar o tratamento precocemente.

Os Casos de Minas Gerais

A situação de Minas Gerais ocorreu por conta da contaminação da cerveja produzida pela marca Backer. A substância tóxica presente nos lotes da marca se chama dietilenoglicol. Inicialmente era informação que apenas o tanque de fermentação da marca de cervejas havia sido contaminado, mais tarde, foi descoberto que o tanque de água também foi contaminado com a toxina.

A empresa possui apenas um tanque de água, o que significa que muito provavelmente todos os lotes estão contaminados. O motivo desta ainda não se sabe, no entanto, existem algumas hipóteses:

  • Mal uso do monoetilenoglicol, produto utilizado com intuito de resfriar a cerveja, mas que em ambientes mais ácidos pode virar dietilenoglicol, no entanto, essa hipótese parece ser pouco provável, já que a empresa não possui áreas muito ácidas;
  • Vazamento;
  • Sabotagem – existe também a possibilidade da empresa ter sido sabotada, qualquer um pode ter realizado essa ação, como um ex-funcionário.

A Síndrome Nefroneural

A síndrome não é muito popular, mas é importante esclarecer que ela já existia, a diferença nos casos ocorrentes em Minas Gerais é que a causa está ligada a substância tóxicas contaminantes. A síndrome também pode aparecer devido a infecções por vírus ou bactérias, ou intoxicações causada por substância alcoólica.

Caso você ou alguém que você conheça esteja apresentando alguns dos sintomas citados em um dos tópicos acima, procure um médico o mais rápido possível para iniciar o tratamento.

Prevenção, Tratamento e Acompanhamento

Para evitar a presença da doença, é recomendado que se evite os líquidos suspeitos de conter contaminação, assim como evitar entrar em contato com águas paradas, lugares fechados sujos, enchentes e se prevenir de picadas.

O tratamento para os casos de Minas Gerais estão sendo feitos à base de monitorar os pacientes e administrar um antídoto, no caso o etanol oral ou venoso, já que o antídoto específico para a substância dietilenoglicol não está disponível no Brasil. Hidratação, avaliação e em alguns casos hemodiálise para o sintoma renal também fazem parte dos procedimentos utilizados como tratamento.

As sequelas da síndrome são imprevisíveis, e cada paciente pode se comportar de maneira diferente perante ao tratamento, alguns se recuperam rapidamente, mas outros podem desenvolver lesões renais ou neurológicas que se tornam permanentes, e até mesmo a morte.

Referência: PEBMED

Dr Daniel Azevedo
Compartilhe: