ultrassom transcraniano encefalopatia hepática
Ultrassom Transcraniano na Cirrose Hepática
28 de novembro de 2017
Exame Neurológico
Exame Neurológico – Saiba Quando é Necessário
5 de janeiro de 2018

A tontura é um sintoma de alerta do organismo que possui alguma alteração súbita ou transitória. Ela precisa ser investigada para que a origem seja tratada de maneira correta. Muitos pacientes reclamam da tontura ao acordar e ao se levantar rapidamente, as situações e motivos podem ser muitos.

As tonturas não são apenas sintomas de pessoas idosas, elas podem acometer os jovens e adultos e nem sempre indicam condições graves ou doenças que não possuem tratamento.

Os fatores mais frequentes podem ser quedas de pressão, labirintites, alterações repentinas do equilíbrio do corpo, esforços físicos, problemas cardíacos ou efeitos colaterais de medicamentos.

Se o problema for frequente em vários períodos do dia, é de extrema importância que haja uma investigação médica para descobrir a origem do sintoma. Se ocorrer episódios fortes de tonturas e dores de cabeça prolongadas, é necessário ir imediatamente ao pronto socorro.

Principais Causas da Tontura ao Acordar:

  1. Labirintite ou Vertigem

Labirintite e vertigem são as causas mais frequentes de quem relata possuir tontura ao acordar. Esta é a famosa sensação de que todos os objetos, o chão e o entorno estão girando de maneira confusa. A vertigem pode vir acompanhada de enjoos, zumbidos no ouvido e até vômitos.

A tontura ocasionada pela labirintite pode ocorrer até mesmo quando o individuo está deitado e o mais comum é que ela seja desencadeada por movimentos repentinos da cabeça, como virá-la de lado ou olhar para o lado.

  1. Desequilíbrio

A tontura é acometida pela sensação de desiquilíbrio corporal, ela pode causar sensações de falta de controle corporal e equilíbrio ao se movimentar. Algumas causas da tontura e desequilibro são situações específicas, como:

  • Uso de medicamentos: o uso de medicamentos que, principalmente, provocam alterações no sistema nervoso central podem ocasionar tonturas e alterações no equilíbrio corporal. Entre as substâncias que podem levar ao aparecimento da tontura, estão: Diazepam, Fernobarbitral, Clonozepam, Metoclopramida, Fenioína, entre outros.
  • Pancadas e lesões na cabeça: as pancadas mais fortes podem ocasionar lesões momentâneas ou permanentes no indivíduo, que por sua vez poderá apresentar tonturas ao lesionar a região cerebral que é responsável pelo equilíbrio saudável do corpo.
  • Doenças neurológicas: AVC, Isquemia Cerebral, Parkinson, tumor cerebral e doenças cerebrais degenerativas.
  • Consumo de álcool e outras drogas: o consumo excessivo de álcool e outras drogas podem afetar diretamente o sistema nervoso central, alterando e degenerando significadamente a região cerebral e suas capacidades de controle.
  • Alterações e problemas na visão: as tonturas podem ser base de algum problema ou déficit na visão, elas podem ser acompanhadas com fortes dores de cabeça e náuseas dependendo do fator e grau. Alguns dos problemas são: hipermetropia, miopia, glaucoma e catarata.
  1. Queda da pressão arterial

A tontura que ocorre através das alterações cardíacas ou má circulação sanguínea são denominadas de pré-sincope ou hipotensão ortostática. Ela surge quando há queda de pressão e o sangue não é bombeado adequadamente para a região cerebral.

Ela causa em sua maioria, sensações de desmaio, escurecimento total ou parcial da visão e surgimento de pequenos pontos pretos e brilhantes na visão. Geralmente elas ocorrem ao levantar subitamente de um local, uma tontura ao acordar, durante alguma prática de exercício físico. As principais causas são:

  • Queda brusca de pressão: surge através da irregularidade no ajuste da pressão arterial, pode ocorrer por mudanças bruscas de postura e movimentos intensos com a cabeça.
  • Gravidez: no período da gravidez é normal ocorrer algumas tonturas pois há mudanças na circulação sanguínea da mulher, podendo haver diminuição da pressão arterial.
  • Problemas cardíacos: insuficiências, irregularidades e arritmias na artéria do coração que dificulta a circulação do fluxo de sangue, causando tonturas.
  • Remédios que ocasionam quedas de pressão: eles podem ser analgésicos, antibióticos, diuréticos, anti-hipertensivos, medicamento para diabetes, quimioterápicos, antidepressivos, antipsicóticos, anticonvulsionantes, entre outros.
  1. Transtornos psicológicos

Alguns problemas e transtornos psicológicos podem acarretar tonturas, em especial o transtorno de ansiedade, transtorno de ansiedade generalizada, fobia social, fobia específica, transtornos de ordem psicótica, epilética entre outros.

Esses transtornos podem ocasionar muitas alterações perceptivas, como modificação de respiração, tontura, sufocamento, falta de percepção corporal, visual e auditiva. As tonturas podem ocorrer em períodos diversos, como a tontura ao acordar, períodos noturnos, na madrugada, ou em qualquer intervalo do dia.

Elas se manifestam através de crises psicológicas em que muitas vezes o indivíduo perde a noção do tempo e espaço, com reações fisiológicas de sufocamento e estreitamento da consciência.

Diagnóstico da Tontura ao Acordar

As tonturas podem ser ocasionadas por muitos fatores que interferem no funcionamento do equilíbrio corporal. Elas podem ser agentes de alerta para muitos problemas e disfunções que o nosso corpo insiste em demonstrar.

A tontura ao acordar é a mais frequente entre todos os casos e relatos de pacientes. Por esse motivo, é de grande importância marcar uma consulta, se o sintoma vir a ser contínuo durante os dias, eles podem ser sinais de algum problema que precisa de maior cuidado e tratamento que precisamos analisar.

Possíveis Causas da Tontura ao Acordar
4.7 (93.97%) 126 votos
Dr Daniel Azevedo

Dr Daniel Azevedo

Neurologista membro titular da Academia Brasileira de Neurologia e pós-graduando do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo, no Laboratório de Neurossonologia do Hospital das Clínicas. Possui título de especialista em neurossonologia concedido pela World Federation of Neurology e pela Academia Brasileira de Neurologia. Atua principalmente nos seguintes temas: doenças cerebrovasculares, hemodinâmica encefálica e neurointensivismo
Dr Daniel Azevedo

Últimos posts por Dr Daniel Azevedo (exibir todos)