Isquemia Cerebral Transitória
Isquemia Cerebral Transitória – Saiba Mais
19 de janeiro de 2018
Pressão Alta na Gravidez
Pressão Alta na Gravidez – Riscos e Acompanhamento
2 de fevereiro de 2018

Existe uma série de doenças que afetam os neurônios do cérebro humano; estas recebem a denominação de doenças neurodegenerativas. Tratam-se de doenças incuráveis e debilitantes, resultantes da degeneração progressiva e/ou morte dos neurônios, que são a unidade-base do sistema nervoso.

As Doenças Neurodegenerativas

As doenças neurodegenerativas podem afetar pessoas de todas as idades, acarretando problemas de movimento do corpo (ataxias) e de funcionamento do cérebro (demência) – responsáveis pela maior carga da doença. Tais doenças são uma das principais causas de morte e incapacidade; suas causas ainda são desconhecidas.

Os neurônios são as unidades funcionais do sistema nervoso. Eles comunicam-se através de Sinapses, e são responsáveis pela propagação dos impulsos nervosos. Uma vez que os neurônios sofrem lesões ou morrem, não podem ser substituídos, pois não se reproduzem. Trata-se da degeneração cerebral.

Principais Doenças Neurodegenerativas

Doença de Alzheimer (DA)

A Doença de Alzheimer é um tipo de demência responsável pela deterioração de diversas funções cognitivas – memória, atenção, concentração, linguagem e pensamento – de forma irreversível e progressiva. Isso acarreta em alterações comportamentais, na personalidade e na capacidade funcional do portador, dificultando-o a realizar suas atividades rotineiras.

Doença de Parkinson (DP)

A Doença de Parkinson é uma doença neurodegenerativa crônica que ataca o sistema motor. Afetando os movimentos corporais, a doença leva a pessoa a sentir tremores, rigidez, lentidão de seus movimentos corporais, instabilidade postural e alterações na marcha.

Essa doença surge quando os neurônios da substância negra (região cerebral) morrem; geralmente, quando surgem os primeiros sintomas da doença, já é tarde para combatê-la: já houve perda entre 70 e 80% destas células.

Esclerose Múltipla (EM)

A Esclerose Múltipla é uma doença neurodegenerativa crônica, que incide principalmente sobre mulheres e jovens adultos (na faixa etária entre 20 e 40 anos). Trata-se de uma doença inflamatória e desmielinizante, que geralmente ataca o Sistema Nervoso Central.

O sistema imunitário do portador da Esclerose Múltipla torna-se incapaz de diferenciar as células do próprio corpo de células estranhas. Assim, esta é uma doença autoimune, em que o sistema imunitário acaba por destruir seus próprios tecidos.

Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)

A Esclerose Lateral Amiotrófica trata-se de uma doença neurodegenerativa rara e progressiva, que afeta o sistema motor, causando a morte precoce dos neurônios que transmitem informações do cérebro aos músculos do corpo humano. Consequentemente, esses músculos, responsáveis pelos movimentos, tornam-se fracos.Doença de Huntington (DH)

A Doença de Huntington trata-se uma doença neurodegenerativa, rara e hereditária. Ela afeta de cinco a dez entre cada 100 mil pessoas na Europa.Polineuropatia Amiloidótica Familiar (PAF)

A Polineuropatia Amiloidótica Familiar, ou paramiloidose, conhecida popularmente por “doença dos pezinhos”, trata-se de uma doença genética que deposita nos tecidos do corpo (particularmente nos nervos) uma substância fibrilar, altamente insolúvel, denominada por amilóide.

Doença de Machado-Joseph (DMJ)

A Doença de Machado-Joseph trata-se de uma doença neurodegenerativa e crônica, que incapacita altamente seu portador. A área do cérebro mais atingida pela doença é o cerebelo – responsável pela coordenação motora do corpo humano.

Existe ainda uma série de doenças neurodegenerativas, tais como: Encefalopatia espongiforme transmissível, Ataxia Espinocerebelosa (AEC), Atrofia Espinal Muscular (AEM), entre outras.

Prevenção das Doenças Neurodegenerativas

Por mais que as doenças neurodegenerativas sejam doenças que agravam-se progressivamente, existem alguns cuidados que podem ser tomados para preveni-las. Na realidade, a saúde do cérebro está nas mãos de cada um de nós: manter o cérebro ativo e o estímulo da mente são formas de prolongar o aparecimento de doenças neurodegenerativas.

Apenas 30% do envelhecimento do cérebro está programado geneticamente; o restante depende, quase que completamente, de fatores que estão sob nosso controle. A melhor forma de prevenir a deterioração cerebral é realizando exercícios que mantenham o cérebro funcionando e realizar check-ups neurológicos com frequência.

Evitar metais pesados e alimentos industrializados, consumir nozes e equilibrar o intestino são outros métodos que podem ajudar a retardar o aparecimento de doenças neurodegenerativas e, além disso, melhorar sua qualidade de vida.

O Que São Doenças Neurodegenerativas
4.9 (98.45%) 116 votos
Dr Daniel Azevedo

Dr Daniel Azevedo

Neurologista membro titular da Academia Brasileira de Neurologia e pós-graduando do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo, no Laboratório de Neurossonologia do Hospital das Clínicas. Possui título de especialista em neurossonologia concedido pela World Federation of Neurology e pela Academia Brasileira de Neurologia. Atua principalmente nos seguintes temas: doenças cerebrovasculares, hemodinâmica encefálica e neurointensivismo
Dr Daniel Azevedo