Uso de Melatonina para Prevenção da Enxaqueca

medico-enxaqueca
Qual o Médico que Cuida da Enxaqueca?
18 de maio de 2018
traumatismo-criancas
Traumatismo Cranioencefálico na Infância e o Risco de TDAH
1 de junho de 2018

A melatonina trata-se de um hormônio, produzido no cérebro pela glândula pineal, que atua na regulação de diversos ritmos biológicos e influencia diversos sistemas e funções do organismo, incluindo sono, fome, etc. Seus benefícios têm sido estudados e comprovados há muitos anos. Neste artigo, vamos abordar o uso da melatonina para prevenção da enxaqueca.

A enxaqueca é um dos tipos de cefaleia e caracteriza-se por uma dor pulsátil de um do lado da cabeça (às vezes dos dois), podendo manifestar-se também através de outros sintomas. Pessoas que sofrem de enxaqueca apresentam níveis inferiores de melatonina, fator que agrava a incidência das crises.

Uso de Melatonina para Prevenção da Enxaqueca

O uso de melatonina para prevenção da enxaqueca tem sido estudado há décadas. Através de pesquisas, confirmou-se a eficácia da melatonina em diversos transtornos de cefaleia, incluindo a enxaqueca.

Estudos indicam que a ingestão de melatonina contribui para uma melhora da crises de enxaqueca, superior a dos demais medicamentos utilizados atualmente para reduzir as dores.

Melatonina e Hipotálamo

Existem exames de imagens que fornecem evidências do papel da melatonina na prevenção da enxaqueca. Durante as crises enxaquecosas, uma região cerebral denominada hipotálamo é ativada; a ação da melatonina no hipotálamo pode desempenhar um papel positivo na redução dos ataques de enxaqueca.

Impacto com o Sono

A função exercida pela melatonina na prevenção da enxaqueca também pode ter relação com o sono. Os níveis de melatonina aumentam naturalmente durante a noite, e são responsáveis pela indução do início do sono.

A privação do sono pode ser um fator desencadeante e/ou agravante da enxaqueca. Portanto, um sono de qualidade pode reduzir significativamente os episódios de enxaqueca.

Efeitos nas Dores e Inflamações

A melatonina atua também, de forma direta, nos efeitos de dores e inflamações: estudos com animais evidenciam que o hormônio tem potencial de diminuir a percepção da dor decorrentes de inflamações e dores neuropáticas.

Uso de Melatonina para Prevenção da Enxaqueca – Estudos

Diversos estudos confirmaram que o uso de melatonina, durante um período de 2 a 6 meses, reduziu muito a frequência das crises de enxaqueca, tanto em adultos quanto em crianças. Nestes estudos, entre 62 e 78% dos participantes obtiveram uma diminuição superior a 50% na incidência de enxaqueca no fim da pesquisa, em comparação ao início.

Efeitos Colaterais do Uso da Melatonina

No geral, o uso da melatonina foi bem tolerado nos estudos. O efeito colateral mais relatado entre os participantes das pesquisas foi a sonolência. Em menor proporção, foram relatados efeitos colaterais como fadiga, dor de estômago, tontura, boca seca e constipação.

Eficácia da Melatonina

Veja mais informações sobre os resultados de três estudos em relação ao uso de melatonina para prevenção da enxaqueca, neste artigo (em inglês). Os resultados destes estudos são promissores, entretanto, tal fator não descarta a necessidade de novos estudos para confirmar as preliminares obtidas até agora.

Assim, diante da tolerância positiva e do baixo risco de efeitos colaterais da melatonina, a ingestão deste hormônio pode ser considerada uma boa alternativa para diminuição da frequência, duração e intensidade dos episódios de enxaqueca.

Converse com o seu neurologista de confiança para saber se esta terapêutica é indicada para o seu caso.

 

Uso de Melatonina para Prevenção da Enxaqueca
5 (100%) 6 votos
Dr Daniel Azevedo

Dr Daniel Azevedo

Neurologista membro titular da Academia Brasileira de Neurologia e pós-graduando do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo, no Laboratório de Neurossonologia do Hospital das Clínicas. Possui título de especialista em neurossonologia concedido pela World Federation of Neurology e pela Academia Brasileira de Neurologia. Atua principalmente nos seguintes temas: doenças cerebrovasculares, hemodinâmica encefálica e neurointensivismo
Dr Daniel Azevedo

Últimos posts por Dr Daniel Azevedo (exibir todos)