fbpx

Cafeína e TDAH – Como as Bebidas Cafeinadas Interferem no Transtorno

Sinais de Alerta do Acidente Vascular Cerebral
Sinais de Alerta do Acidente Vascular Cerebral
5 de abril de 2019
anemia-falciforme-e-avc
Anemia Falciforme e Risco de AVC – Compreenda Melhor esta Relação
19 de abril de 2019

Cafeína é um estimulante natural que favorece a produção de dopamina no cérebro. Isso ajuda a explicar por que tantos adultos com TDAH dizem que não poderiam viver sem ela. Mas a cafeína é um tratamento seguro e eficaz para os sintomas? Continue a leitura e saiba mais sobre a relação entre cafeína e TDAH.

Cafeína e TDAH

Muitos de nós consumimos cafeína ao longo do dia para um surto de energia rápido e temporário. A cafeína estimula o sistema nervoso e aumenta a produção de dopamina – o que ajuda o corpo com movimento, atenção e foco.

No contexto do transtorno de déficit de atenção (TDAH), os tratamentos geralmente incluem medicação estimulante, que tem um efeito similar.

Em adultos e crianças com TDAH, os resultados do consumo de cafeína permanecem contrastantes. O estimulante acalma algumas pessoas, aumentando a ansiedade em outras. No entanto, muitos pais e adultos com TDAH relatam o uso leve e moderado da cafeína como uma forma de ajudar a estimular o foco e a concentração.

Cafeína e TDAH – Como a Cafeína Age

A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central que atua no cérebro, afetando os neurotransmissores relacionados ao estado de alerta e ao pensamento cognitivo.

A cafeína funciona bloqueando a adenosina, uma substância produzida em seu cérebro que sinaliza para o seu corpo que é hora de relaxar. Ela toma o lugar da adenosina nos receptores do cérebro. Isso tem o efeito de permitir que a dopamina e o glutamato, os próprios estimulantes naturais do cérebro, tenham um efeito maior do que se a adenosina não fosse bloqueada pela cafeína.

O resultado: você se sente mais alerta e experimenta melhorias em sua memória de trabalho, sente-se menos fatigado, mais energizado e com melhor concentração.

Cafeína e TDAH – Os Efeitos da Cafeína

Acredita-se amplamente que a cafeína aumenta a atenção em adultos normais, mas os resultados de estudos relacionados ainda não são claros. Alguns estudos encontram melhor desempenho em tarefas de memória; outros acham que a cafeína ajuda a concentração, mas prejudica a memória de curto prazo. Há também uma crença geral de que a cafeína torna as pessoas mais ansiosas e dificulta o sono. Além disso, a retirada de cafeína pode desencadear dores de cabeça, fadiga, irritabilidade e nervosismo.

Consumir grandes quantidades de cafeína, além de tomar a medicação para TDAH, pode resultar em nervosismo perigosamente agudo ou impulsividade fora de controle. Muitas pessoas que tomam bebidas cafeinadas todos os dias – como café, chá e refrigerantes cafeinados – podem sentir sintomas de abstinência de cafeína, como dores de cabeça irritação, quando deixam de tomá-la de forma regular.

Efeitos da Cafeína na Pessoa com TDAH

Para adultos, as pesquisas realizadas até o momento não encontraram nenhum dano em uma ou duas xícaras diárias de café e chá. As crianças são mais propensas a desenvolver dependência de cafeína e podem fazê-lo mais rapidamente que os adultos. Além disso, a cafeína a qualquer momento durante o dia pode tornar difícil para as crianças dormirem à noite, levando a outros problemas, incluindo problemas comportamentais relacionados à sonolência.

Quanto ao uso como parte do seu plano de tratamento, esta é uma discussão importante a ter com o seu médico. Seu médico, revisando a pesquisa disponível e seu próprio histórico, pode oferecer orientação sobre quanto de cafeína pode ser saudável para você ingerir todos os dias.

Dr Daniel Azevedo

Dr Daniel Azevedo em Neurologista SP
Neurologista membro titular da Academia Brasileira de Neurologia e pós-graduando do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo, no Laboratório de Neurossonologia do Hospital das Clínicas. Possui título de especialista em neurossonologia concedido pela World Federation of Neurology e pela Academia Brasileira de Neurologia. Atua principalmente nos seguintes temas: doenças cerebrovasculares, hemodinâmica encefálica e neurointensivismo
Dr Daniel Azevedo

Últimos posts por Dr Daniel Azevedo (exibir todos)

Compartilhe