Exame Neurológico
Exame Neurológico – Saiba Quando é Necessário
5 de janeiro de 2018
Isquemia Cerebral Transitória
Isquemia Cerebral Transitória – Saiba Mais
19 de janeiro de 2018

O AVC na gravidez, além de ser altamente nocivo para a mulher, põe em risco também a vida do bebê, podendo acarretar em consequências irreparáveis.

Durante o período gestacional, o corpo da mulher sofre muitas alterações que proporcionam o desenvolvimento do bebê, inclusive o aumento da pressão arterial, fator que potencializa significativamente o risco de surgimento de doenças cardiovasculares como o Acidente Vascular Cerebral (AVC).

AVC na Gravidez

Há muito tempo, a população feminina está em alerta em relação ao aumento de probabilidade de AVC durante a gravidez tardia. Entretanto, estudos recentes, com base na comparação dos índices de incidência de AVC entre mulheres gestantes e não-gestantes de diferentes idades, indicam que são as mulheres jovens que enfrentam maior risco.

Por mais que a incidência do AVC em mulheres jovens seja rara, 18% dos episódios de derrame cerebral em mulheres com menos de 35 anos foram associados à gravidez, enquanto apenas 1,4% dos AVCs em mulheres mais velhas com idade fértil foram associados ao período gestacional.

Na realidade, embora a gestação tardia seja mais propícia a complicações, o aumento do risco de AVC não é uma delas. Ao contrário, o risco de AVC na gravidez é maior em mulheres jovens.

Acidente Vascular Cerebral (AVC)

O AVC trata-se de um derrame cerebral que ocorre devido ao entupimento ou rompimento de vasos sanguíneos responsáveis por encaminhar o sangue ao cérebro. Consequentemente, a região cerebral carente de sangue sofre uma paralisia.

O episódio de AVC requer emergência médica, principalmente nos casos de mulheres grávidas: quanto mais rápido for o atendimento, menores são as chances de sequelas e riscos na vida do bebê e da gestante.

AVC na Gravidez – Fatores de Risco

O AVC é uma doença que pode acometer tanto homens quanto mulheres. Entretanto, a mulher tem demonstrado grande vulnerabilidade ao problema.

Logo, a medicina tem voltado seu olhar às mulheres nos últimos anos, com objetivo de identificar fatores de risco e características do organismo feminino capazes de potencializar os riscos de AVC, inclusive a gravidez – principalmente em mulheres jovens.

A gestação é um dos fatores de risco do AVC, uma vez que a hipertensão arterial é um dos sintomas comuns desse período, e é capaz de potencializar a probabilidade de ocorrência de um AVC. A enxaqueca é outro sintoma comum da gravidez e também aumenta as chances de problemas cerebrovasculares.

Além dos sintomas citados, existem outros fatores de risco de AVC, tais como: histórico de hipertensão, diabetes, estresse, insuficiência cardíaca, tabagismo, fibrilação atrial e histórico de outro AVC.

Causas do AVC na Gravidez

Existem duas classificações de AVC: o AVC isquêmico, caracterizado pelo entupimento dos vasos responsáveis por transportar sangue ao cérebro, e o AVC hemorrágico, que se dá pelo rompimento desses vasos sanguíneos.

O AVC isquêmico representa 85% dos episódios, e suas principais causas são: a trombose (se dá através da formação de um coágulo no interior da artéria) e a embolia (ocorre quando o coágulo é transportado pela corrente sanguínea).

Já o AVC hemorrágico é responsável por 15% dos casos e caracteriza-se por uma hemorragia, decorrente do rompimento de uma artéria.

Seja qual for o tipo de AVC na gravidez, o atendimento médico deve ser emergencial, evitando que os danos à saúde da gestante e do bebê sejam irreparáveis: já que pode acarretar graves sequelas e óbito. A agilidade do pronto atendimento está diretamente associada à eficácia do tratamento.

Como Evitar o AVC na Gravidez

A prevenção é a melhor forma de tratamento do AVC na gravidez, levando em conta as especificidades do organismo feminino: estar alerta aos sintomas e causas é fundamental para evitar o AVC na gravidez e impedir que este provoque sequelas e consequências graves.

Durante a gravidez, o acompanhamento com o neurologista de sua confiança é essencial: ele será capaz de identificar os sintomas de um possível AVC precocemente e indicar a maneira adequada de evitá-lo, durante a gestação e também mais tarde.

AVC na Gravidez – Causas e Como Evitar
5 (100%) 3 votos
Dr Daniel Azevedo

Dr Daniel Azevedo

Neurologista membro titular da Academia Brasileira de Neurologia e pós-graduando do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo, no Laboratório de Neurossonologia do Hospital das Clínicas. Possui título de especialista em neurossonologia concedido pela World Federation of Neurology e pela Academia Brasileira de Neurologia. Atua principalmente nos seguintes temas: doenças cerebrovasculares, hemodinâmica encefálica e neurointensivismo
Dr Daniel Azevedo