aura-da-enxaqueca
Aura da Enxaqueca – Porque Acontece e suas Complicações
8 de março de 2019
doppler-transcraniano-hipotensao-ortostatica
Doppler Transcraniano na Hipotensão Ortostática
22 de março de 2019

A maioria das aplicações do Doppler transcraniano é possível devido à sua capacidade de monitorar continuamente o fluxo sanguíneo em uma artéria intracraniana por períodos prolongados. Assim, as mudanças dinâmicas na hemodinâmica cerebral como resultado da história natural da doença, uma doença intracraniana e complicações de uma doença ou secundárias a um estímulo provocativo externo podem ser observadas em tempo real e auxiliam nos processos diagnósticos, terapêuticos e prognósticos.

Este artigo descreve várias aplicações avançadas do exame, como monitoramento de êmbolos, reatividade vasomotora, monitoramento de vasoespasmo em hemorragia subaracnóidea, monitoramento da pressão intracraniana, seu papel na prevenção de esteatose em doença falciforme, e como um teste suplementar para confirmação da morte encefálica.

As Aplicações do Doppler Transcraniano

O Doppler Transcraniano (DTC) é a única ferramenta diagnóstica que pode fornecer informações contínuas sobre a hemodinâmica cerebral em tempo real e por períodos prolongados.

No fim da década de 1980, descobertas na neurossonologia possibilitaram a avaliação da ecogenicidade das estruturas encefálicas profundas. O método diagnóstico de ultrassonografia transcraniana foi recebido com certo ceticismo pela comunidade científica internacional. Era difícil entender como uma técnica baseada em ondas de ultrassom poderia revelar anormalidades teciduais encefálicas – e isto sem a necessidade de aberturas cirúrgicas do crânio.

A eficácia da ultrassonografia transcraniana baseia-se no princípio de que alterações nas estruturas encefálicas causam modificações de sua ecogenicidade. E a ecogenicidade é o parâmetro analisado pelo método diagnóstico de ultrassom. Assim, este procedimento é sensível e confiável na detecção de diversas anormalidades encefálicas.

Conheça a seguir algumas das aplicações do Doppler Transcraniano:

Aplicações do Doppler Transcraniano – Diagnóstico da Doença de Parkinson

Sabemos que a ultrassonografia transcraniana é um método de diagnóstico não invasivo e de baixo custo. Este exame vem demonstrando muita utilidade no diagnóstico diferencial das síndromes parkinsonianas.

Em pacientes com a doença de Parkinson de origem idiopática, ou seja, surgida espontaneamente ou de causa desconhecida, a ultrassonografia transcraniana revela as alterações anatômicas degenerativas da substância negra mesencefálica, nos gânglios da base do cérebro.

Este exame também pode ser útil para o diagnóstico diferencial dos distúrbios de movimento, colaborando para o esclarecimento de alguns dos seus mecanismos fisiopatológicos.

Monitoramento para Embolia Espontânea

Uma estenose limitadora de fluxo em uma artéria cervical ou intracraniana pode produzir isquemia cerebral por hipoperfusão regional, embolização artéria-a-artéria ou uma combinação de ambas. O monitoramento prolongado de uma artéria intracraniana distal ao local esteno-oclusivo pode detectar sinais embólicos espontâneos e quantificar o potencial embologênico da placa aterosclerótica.

Para monitorar a condição, o Doppler transcraniano permite o registro contínuo do fluxo espectral da artéria intracraniana desejada por períodos prolongados.

Monitoramento da Reatividade Vasomotora

Reatividade vasomotora representa a resposta da circulação cerebral a vários estímulos vasomotores para manter um fluxo sanguíneo quase constante. Alterações vasomotoras em resposta a vários estímulos podem ser estudadas em tempo real pelo Doppler transcraniano, que pode ser usado para identificar pacientes com maior risco de acidente vascular cerebral, monitorar a progressão da estenose, bem como para selecionar pacientes para posterior neuroimagem e tomada de decisão terapêutica.

Monitoramento da Anemia Falciforme

A Anemia Falciforme é uma doença hereditária, caracterizada por alterações anatômicas nos glóbulos vermelhos do sangue, com principal consequência a falta de oxigenação celular.

Em pacientes com anemia falciforme, o risco de AVC é aumentado, principalmente o acidente vascular cerebral isquêmico, que por falta de oxigenação, causa a morte dos tecidos cerebrais, com graves sequelas neurológicas ou até mesmo a morte.

O Doppler Transcraniano é um método de diagnóstico não invasivo, com um bom custo-benefício no controle da doença, pois permite visualizar as artérias cerebrais, medindo a velocidade média do fluxo sanguíneo cerebral e determinando sua velocidade média, importante para avaliar o risco de AVC nesses pacientes.

Teste Suplementar para Confirmação de Morte Encefálica

A avaliação clínica das funções do tronco cerebral com várias medidas provocativas é o padrão-ouro para o diagnóstico de morte encefálica. No entanto, o diagnóstico de morte encefálica pode ser consideravelmente retardado se apenas as avaliações clínicas forem consideradas. Esse fenômeno pode ter sérias implicações, especialmente em centros envolvidos em programas agressivos de transplante de órgãos.

Por si só, o DTC não pode ser usado para diagnosticar a morte encefálica, já que este é um diagnóstico clínico. O exame pode ser usado para ajudar no diagnóstico da parada circulatória cerebral em adultos e crianças (com idade superior a 6 meses), para monitorar mudanças progressivas do fluxo em direção à parada circulatória cerebral.

Uma ausência prolongada de perfusão cerebral pode ser detectada usando um padrão de fluxo oscilante (reverberante), pico sistólico ou ausência de sinais de fluxo, e esse processo levará à morte encefálica.

Monitorização de Vasoespasmo na Hemorragia Subaracnóidea

O vasoespasmo arterial é uma complicação da hemorragia subaracnóidea, que se torna sintomática em mais de 25% dos pacientes, levando a um déficit isquêmico tardio.

O DTC pode ser usado para detectar o início do vasoespasmo assintomático, acompanhar a progressão do espasmo e facilitar a terapia, identificar pacientes com vasoespasmo grave, monitorar o efeito de terapias e intervenções e detectar a resolução do espasmo.

Vários estudos demonstraram a utilidade do DTC no diagnóstico de vasoespasmo nas circulações anterior e posterior após a HSA. Mais especificamente, pode detectar o desenvolvimento de vasoespasmo dias antes que ele se torne clinicamente aparente e esta informação pode ser usada pelo médico assistente.

Depois que o vasoespasmo é diagnosticado, o DTC pode ajudar no monitoramento de sua progressão e resposta a várias medidas terapêuticas, bem como na seleção de pacientes para intervenções endovasculares adicionais.

Aplicações do Doppler Transcraniano – Monitoramento da Doença Hipertensiva da Gravidez

As complicações hemodinâmicas decorrentes da hipertensão arterial durante o período gestacional afetam todos os órgãos e tecidos maternos – inclusive o sistema nervoso central.

Técnicas não invasivas como o Doppler transcraniano são fundamentais para diagnosticar a doença hipertensiva da gravidez. Na realidade, o acesso à circulação cerebral de uma gestante é um desafio. Isto porque o uso de contraste e radiação, necessário em exames de imagens como a angioressonância e angiografia, não são indicados neste período.

Assim, com o ultrassom transcraniano, podemos estimar o risco de pré-eclâmpsia e eclâmpsia, estudando as alterações da hemodinâmica encefálica.

Monitoramento da Pressão Intracraniana (PIC)

Dependendo da necessidade clínica, a medição ou monitorização da PIC é realizada por meio de dreno intraventricular, cavidade ocular craniana ou punção lombar. No entanto, a natureza invasiva desses métodos limita seu uso rotineiro.

O DTC é um método não-invasivo que pode avaliar a hemodinâmica do fluxo sanguíneo cerebral nas principais artérias intracranianas à beira do leito. O índice de pulsatilidade (IP) derivado do DTC, calculado como a diferença entre as velocidades de fluxo medidas durante a sístole e diástole, dividido pela velocidade média de fluxo, fornece informações úteis sobre o ICP.

No entanto, essa relação é complexa e depende de vários fatores fisiológicos e estados de doença. Curiosamente, estimativas seriadas em um único paciente em um curto período de tempo são confiáveis ​​para uma avaliação indireta de mudanças longitudinais na PIC.

O DTC fornece informações em tempo real sobre a hemodinâmica cerebral e permite o monitoramento prolongado com excelente resolução temporal. Aplicações do Doppler transcraniano são partes integrantes do arsenal de neurologistas para avaliar vários mecanismos de isquemia cerebral. Além disso, o exame ajuda no planejamento e monitoramento do processo da doença, na eficácia do tratamento e também no prognóstico.

Artigo publicado em: 11/04/2017.

Artigo atualizado em: 15/03/2019.

Aplicações do Doppler Transcraniano
5 (100%) 412 votos
Dr Daniel Azevedo

Dr Daniel Azevedo

Dr Daniel Azevedo em Neurologista SP
Neurologista membro titular da Academia Brasileira de Neurologia e pós-graduando do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo, no Laboratório de Neurossonologia do Hospital das Clínicas. Possui título de especialista em neurossonologia concedido pela World Federation of Neurology e pela Academia Brasileira de Neurologia. Atua principalmente nos seguintes temas: doenças cerebrovasculares, hemodinâmica encefálica e neurointensivismo
Dr Daniel Azevedo

Últimos posts por Dr Daniel Azevedo (exibir todos)